Solidariedade que gera ação: o futuro que queremos para Curitiba pós-pandemia

Você saberia responder o que mais tem preocupado a população de Curitiba durante a pandemia do coronavírus?

 

Para a maioria das pessoas (70,8%), o desemprego ou falta de renda é a principal adversidade. Em seguida, o colapso do sistema de saúde (10,6%), a saúde mental (10,2%) e a saúde física (1,5%).

Por outro lado, a confiança na solidariedade vem à tona quando a pergunta se refere ao que mais está ajudando a superar a crise. Ou seja, a colaboração entre as famílias, independentemente da postura do poder público.

Os dados são da pesquisa publicada pela iniciativa Cidade da Gente, em parceria com o Instituto Sivis. O relatório faz parte do projeto “Ação Covid-19”, dedicado a estudar os efeitos da pandemia em Curitiba.

Ouvir para entender e agir

Durante o estudo, foram ouvidos mais de 500 moradores de 15 regiões de Curitiba com maior vulnerabilidade diante da pandemia.

Certamente, esse levantamento é muito relevante para compreensão do momento atual. Assim como para nortear ações para um horizonte mais esperançoso. Por isso, a Província Marista Brasil Centro-Sul está apoiando essa divulgação.

Cenários possíveis para o futuro

Com a participação de lideranças estratégicas da cidade, o estudo também apresenta a previsão de três cenários futuros para Curitiba. São eles: “Farinha pouca, meu pirão primeiro” (marcado pelo individualismo), “Japona” (solução paliativa) e “Gralha-azul” (transformação).

Quer saber mais sobre os principais resultados da pesquisa, o significado de cada um destes cenários e que atitudes tomar para ir na direção do caminho mais otimista? Acesse o e-book “Solidariedade: o que esperar do futuro? – Como conhecer a realidade pode nos ajudar a transformar o mundo em lugar mais fraterno”, elaborado pela Equipe de Comunicação e Marketing da PMBCS e pelo Instituto Sivis.

Painel Farol de Esperança sobre solidariedade 

Esse assunto também estará no próximo painel Farol de Esperança, no dia 27 de agosto, às 17h, intitulado “Solidariedade: o que esperar do futuro?”. Os convidados falarão dos desdobramentos e conclusões da pesquisa “Ação Covid-19”, bem como do projeto Solidariedade que aquece. Além disso, abordarão o papel das ações solidárias na construção de um futuro pós-pandemia.

Os painelistas serão: Thaíse Kemer, gerente de pesquisa e impacto do Instituto Sivis; Jamil Assis, gerente de relações institucionais do Instituto Sivis; Simone Tavares Zucchi, especialista do Observatório de Educação para a Solidariedade da PUCPR; e Lucas José Ramos Lopes, assessor da área de gestão e missão da UMBRASIL.

O evento virtual é uma iniciativa da Província Marista Brasil Centro-Sul, do Farol 1817, do Instituto de Ciência e Fé e da Escola de Humanidades da PUCPR. É realizado sempre às quintas-feiras, às 17h, no canal do Youtube do Farol 1817.