Pós pandemia: pesquisa aponta a cultura de colaboração para superar crise

Ações de solidariedade fortalecidas durante a pandemia da Covid-19 precisam ser mantidas. Atitudes simples, pequenas e somadas podem ser transformadoras

É complexo imaginar como caminhará o mundo pós-pandemia. Muitos hábitos já foram modificados, há tantas outras teorias de como tudo funcionará, porém a longo prazo torna-se quase impossível mensurar todos os impactos causados pelo Coronavírus. E como vamos seguir em frente, então?

Um estudo do Cidade da Gente, apoiado pelo Instituto Sivis, analisou os cenários futuros possíveis para Curitiba após a Covid-19 e mostrou, por exemplo, que o  desemprego ou falta de renda é o receio de 70,8% dos entrevistados, e que ações como se voluntariar e privilegiar os pequenos comércios podem minimizar os impactos de uma das maiores preocupações da população durante esse momento.

O levantamento ouviu 500 moradores de 15 regiões da capital paranaense mais vulneráveis diante da pandemia. O material, que também contou com a participação de lideranças estratégicas da cidade,  apresenta a previsão de 03 cenários futuros para Curitiba. Um deles marcado pelo individualismo, que ganhou o nome de “Farinha pouca meu pirão primeiro”, outro por solução paliativa, chamado de “Japona” e o cenário mais otimista é o de transformação, que foi denominado de “Gralha Azul”.

E-book

O significado de cada um desses cenários e quais atitudes devem ser tomadas para que se caminhe na direção estão reunidos no e-book elaborado pela Equipe de Comunicação e Marketing da PMBCS e pelo Instituto Sivis. O download está disponível gratuitamente no link:“Solidariedade: o que esperar do futuro? – Como conhecer a realidade pode nos ajudar a transformar o mundo em lugar mais fraterno”.

A temática converge com o recente discurso do Papa Francisco, no qual ele destacou o quanto a doença e seus impactos colocaram em evidência a interdependência entre as pessoas, sendo assim a solidariedade é um caminho para superar a crise. Essa foi a primeira audiência pública dele desde o início da pandemia, e aconteceu no dia 2 de setembro.

O que esperar do futuro?.

O e-book foi lançado no último dia 27 de agosto, durante o painel Farol de Esperança que trouxe o tema ‘Solidariedade: o que esperar do futuro?’.

O debate contou com a participação de representantes do Observatório de Educação para Solidariedade da PUCPR, do Instituto Sivis e da UMBRASIL, que abordaram o poder da solidariedade em um momento desafiador como o que estamos atravessando. Os participantes analisaram o papel das ações solidárias na construção de um futuro pós-pandemia e falaram como a compaixão e a empatia farão parte do nosso dia a dia após a crise.

Não conseguiu acompanhar o debate? Clique aqui e assista ao painel na íntegra.

Educação para Solidariedade

A PMBCS que tem entre seus pilares de atuação a Solidariedade, tem abraçado várias frentes para fortalecer e incentivar o poder de união entre a sociedade. O portal solidariedadequeaquece.com.br vem sendo mais uma das estratégias de atuação, reunindo notícias, pesquisas e relatórios, com o objetivo de construir conhecimento sobre ações solidárias.

Segundo June Cruz, diretor executivo da PMBCS, o SQA busca ofertar  análises sobre cenários, hábitos, saúde mental e impactos que a pandemia vem causando no mundo todo. “A ideia é que essas informações sirvam de base para tomadas de decisão e que ajudem profissionais de saúde, a economia local e a sociedade como um todo”, explica.