Hospital Geral de Caxias do Sul faz campanha para doação itens de higiene pessoal e de recreação

Devido a pandemia, os voluntários não podem entrar no hospital, mas devem entregar as doações na recepção do HG

O Hospital Geral (HG) de Caxias do Sul está realizando campanha de doação de produtos de higiene pessoal, de recreação para crianças e fraldas que, em função da pandemia de coronavírus, tiveram uma redução acentuada no estoque da casa de saúde. Antes da Covid-19, o HG, que atende 100% SUS, tinha a demanda suprida por ações de arrecadação desenvolvidas por clubes de serviços como Rotary e de Mães.

A coordenadora de Projetos Sociais e de Recreação Terapêutica Hospitalar do HG, Silvana Maziero, informou que nos últimos dias as doações aumentaram significativamente. Ela revelou que foram arrecadadas 30 mil unidades dos tamanhos G e GG e fraldas RN para recém-nascidos, utilizadas na UTI neonatal. Em média, são entregues cerca de sete mil fraldas por mês aos pacientes internados. Ela explicou que a ação faz parte do atendimento humanizado realizado na instituição.

Silvana reforçou o pedido por doações de produtos de higiene como sabonete, creme dental, escovas de dente, absorvente, lenços umedecidos, hidratante, xampu, entre outros. Ela lembrou que quando surge uma emergência as pessoas não lembram de levar esses itens para o hospital.

“O HG recebe pacientes de 49 municípios, alguns distantes e o mínimo que a gente pode oferecer é esse material de higiene, até a família se organizar”, destacou a coordenadora.

Além do fornecimento dos materiais de higiene, outro importante ponto do atendimento humanizado do HG é a recreação terapêutica. Para a realização do serviço, o hospital também precisa de doações de materiais como lápis de cor, giz de cera, massinha de modelar, livros infantis para colorir e brinquedos que são utilizados pelas crianças que estão internadas.

Silvana destaca que, com a pandemia, as crianças que recebem alta hospitalar levam para casa os brinquedos e outros materiais de recreação que usaram, visto que os mesmos não podem ser utilizados por outras crianças para evitar algum risco de contaminação. “Por isso, precisamos muito de novas doações”, afirmou ela.

Com a pandemia de Covid-19, os voluntários não podem entrar no hospital, mas podem seguir fazendo as doações e a entrega dos materiais na recepção do Hospital Geral.

Fonte: Correio do Povo.